sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Chegamos em Antofagasta!








































Finalmente estamos em Antofagasta, cidade portuária do Chile, com 280 mil habitantes, e temos o oceano pacífico à nossa frente! É a quinta maior cidade chilena, e é chamada de Pérola do Norte. Este era o ponto final da nossa rota inicial, e o plano era voltar daqui, pelo mesmo caminho. Mas á claro que vamos continuar e descer, pois nao tem sentido voltar pelo mesmo caminho. Aqui fechamos a primeira etapa da nossa viagem, com 3300 km rodados, pelo norte da Argentina e do Chile, e iniciamos a segunda e última etapa, rumo ao sul, com passagens por Santiago, Mendoza, Cordoba e Santa Fé, na Argentina. Ontem em San Pedro do Atacama, no final da tarde, fomos conhecer o famoso Vale de La Luna, ou Vale da Lua. Nós resolvemos passar o dia em San Pedro, para descansar, e acabamos nao fazendo o passeio do Geiser del Tatio, pois saia às 4 da manha, e estávamos exaustos da viagem e do frio, e teve tbm o episódio da perda do Gaudencio. Ou seja, ficamos nos arredores da cidade, e passeio mesmo, dos bons, ficou só este do Vale da Lua.
E valeu a pena! O Vale fica a uns 17 km de San Pedro, e fomos de moto mesmo, lá pelas 19 hs, pois o por do sol é às 20 hs, e esta é a hora H do passeio, que todo mundo espera pra ver o dia inteiro. Pegamos a estrada asfaltada para Calama, entramos à esquerda, e logo em frente tem uma placa indicando a entrada, com um portal. Tem que descer e pagar $1000,00 pesos chilenos, o equivalente a uns R$ 4,20 por pessoa. Vc ganha um folder do passeio, e eles nos ensinaram aonde parar as motos, quais os pontos mais interessantes, etc... Entramos em uma estrada de cascalho socado, quase como asfalto, e eu com o Gaudencio na garupa, pois ele nao quis ir com a moto dele, com medo do cascalho. Mas foi tranquilo. A trilha é longa, acho que dá uns 6 km, e vc entra naquela paisagem realmente lunar, com dunas, montanhas, formacoes rochosas, vales, etc... O primeiro ponto, e o mais famoso, é a subida de uma duna, de uns 300 metros de altura, de uma areia preta e fofa, lotado de gente, que mais parecia formiga, de tao alto qu estavam, lá em cima. Passamos direto, pois combinamos de ir até o final da trilha, pra depois voltar e parar neste ponto. Fomos andando, até quase o final, com um vento gelado. Ainda bem que todos pegaram casaco! Paramos em um ponto chamado de 3 Marias, ou dos Vigilantes, que sao 3 formacoes parecidas com dedos. Tiramos umas fotos, e resolvemos voltar, pois já era 19:30 e ainda tinhamos que subir a tal duna de areia fofa. O Gaudencio pegou a minha filmadora, e comecou a filmar da garupa. Ficou muito bom. Chegamos na duna, e já tinham algumas motos paradas lá, com placa do Brasil. Subimos, e chegamos no topo quase morrendo, com a língua pra fora. Além de ser alto, a areia fofa, todos despreparados, e ainda a 2500 metros de altitude, cansamos demais! Mas a vista compensa, e o clima místico daquele lugar contamina a todos. Acho que tinha ali umas 300 pessoas ao todo. Europeus, Australianos, Argentinos, Brasileiros, Americanos, etc... Todos com as cameras na mao, e tirando foto de tudo. Por do sol, dunas, etc... Este passeio é o melhor de San Pedro, além de barato e perto da cidade. Valeu a pena! Chegou um nativo e comecou a tocar um tipo de instrumento de percussao, e cantar em linguagem indigena, pra completar. O povo ficou doido! Fotos e mais fotos. Descemos a duna, pegamos as motos, e fomos direto para o hotel, chegando lá quase 21 hs da noite! Tomamos banho, e fomos jantar ali perto, no mesmo local do almoco. Jantamos uma sopa de galinha, e resolvemos nem ir até a rua principal, e sim arrumar as malas, pra acordar cedo e ir embora.
O hotel que ficamos, é de um cara muito simpático, chamado Jorge, que já tem um outro hotel maior e mais conhecido, e acabou de montar este outro, para o pessoal que chega lá e nao acha vaga. Nao tem nem letreiro nem nada, mas é novinho, camas muito boas e agua quente. É uma boa indicacao para amigos, pois San Pedro, pra quem nao reservou hotel antes, é sempre cheio e lotado de gente. Peguei o cartao dele, e se alguem um dia quiser, passo o endereco.
Acordamos 7 hs da manha, ainda escuro, e às 8 hs saimos do hotel, pra fazer o "desayuno" fora, já que lá nao tinha. Fizemos num moquifo a beira da estrada, na saida para Calama, mas estava até bom. Era só um sanduiche de queijo com café (Eles só tomam chafé, feito de Nescafé na hora). Montamos nas máquinas, e seguimos viagem para a primeira cidade, que á Calama, a 100 km de San Pedro. A estrada, desertica, no comeco passamos pelas montanhas, muito parecidas com o Vale da Lua, e depois comecou o Deserto do Atacama pra valer. Nao é areia, é um tipo de cascalho, com cores que variam de marrom para mais claro. Parece uma terra gradeada, até aonde o horizonte alcanca. Ali nao tem vida alguma. Nem bicho na viseira do capacete tem! Nao se vê pássaros, nem nada. Só que estava bastante frio! Saimos de San Pedro, às 8:30 hs da manha, com 13 graus! E até Calama, ficou oscilando entre 17 e 18 graus. Quase passei frio, mas tinha colocado a balaclava. Mas estava sem a segunda pele e sem o forro na jaqueta. Mas deu pra aguentar. Novamente o aquecimento da manopla ajudou. Firmamos a velocidade de 120 km/h, que era o combinado, e logo chegamos em Calama. Do lado de Calama, tem uma mina de cobre, chamada Chuquicamata, que é a maior minha de cobre do mundo, e a maior estatal chilena. Calama vive basicamente desta mina, e deve ter uns 50 a 70 mil habitantes, se tiver. Nao tinha um posto de gasolina na beira da rodovia. Ali pegamos a RN25, à esquerda, e rumamos para Carmen Alto, a 100 km dali, para abastecer. A estrada muito boa, com bastante tráfego, muito caminhao carregando cobre, e uma ferrovia sempre ao lado e atravessando o asfalto às vezes. Nesta regiao, a única atividade que se vê, além do turismo, sao estas minas. Vi mais umas 3 ou 4 ao lado da rodovia, mas nao sei do que é. Paramos em Carmen Alto para abastecer, e tomar água, ir no banheiro, etc... A gasolina super, com 95 octanas, está custando algo em torno de $ 500, ou seja uns R$ 2,20 o litro. Achei muito barato. E a minha moto, novamente, fez 19,5 km/litro! Em ordem de consumo, a mais economica é a do Gaudencio, que faz 19/20, depois vem a minha GS, que faz 17/19, e por ùltimo a VStrom do Hilton, que faz 14/16. Estamos com autonomia de 350 km, a cada tanque, o que é muito bom. Andamos mais 100 km, e logo chegamos na entrada de Antofagasta. De San Pedro a Antofagasta foram 300 km. Chegamos aqui às 12:00 hs. Parei, programei o GPS pra achar hotel, e fomos entrando na cidade atrás do primeiro hotel, o Radisson. Andamos até chegar na beira mar, e de cara já vimos o restaurante do tal brasileiro, um gaucho, que tem aqui. Paramos no Radisson, e estava muito caro. Paramos no restaurante do brasileiro, pra perguntar por hotel, ele nao estava lá, e ninguem sabia informar. Vi no GPS que tinha outro hotel perto, e fomos la. Acabamos ficando neste mesmo, chamado de El Tatio (Nome de um vulcao da regiao de San Pedro). É de frente para a praia, na Av. Grecia, e ficou bem mais barato do que o Radisson. Fizemos o checkin, e a mulher da recepcao pediu pra pagar adiantado! Tudo bem! Pagamos, guardamos as motos, e subimos pra tirar as roupas, tomar um banho e ir almocar. Almocamos no restaurante do brasileiro, comida self-service, parecida com a nossa (feijao preto, arroz, salada, etc...), por $4000 pesos cada um, o equivalente a uns R$18. O dono do restaurante chegou por lá já no final do almoco. O cara é um gaúcho baixinho e mala, cabeludo, com piercing, que fala pelos cotovelos e disse que está aqui faz uns 4 anos. Comecou a contar a história dele, falou e falou tanto, que resolvemos ir embora! Nao sabia nem indicar o caminho para os passeios da cidade, nem indicar um hotel bom e barato pra nós! Saimos pra visitar a principal atracao turistica da cidade, chamada de La Portada, que é uma formacao rochosa no mar, à beira da praia, a uns 10 km ao norte da cidade. É fácil de achar, e muito bonita. Lá tem um mirante, uma lanchonete, e uma trilha até a praia, que eu e o Gaudencio descemos, pra pelo menos molhar a mao na agua do pacífico, né?! Tiramos muitas fotos, filmei, etc... e voltamos, indo até umas ruinas de uma antiga fundicao de prata do século 18, mas estava fechada, em reforma (Estao construindo um museu), e voltamos para o hotel. Eu e o Hilton já paramos em um posto, abastecemos as motos, e deixamos prontinhas pra amanha sair cedo para La Serena, afinal serao 800 km! Todos queriam acessar a internet, e o Gaudencio já se apoderou do computador, por quase 2 horas. Fiquei no quarto, liguei o meu celular, e nele mesmo baixei os meus emails. Nisto me liga a minha mae, e foi muito bom, pois falei com ela, meu filho Marquinhos, que ontem fez uma pequena cirurgia, e também com a Luiza, de uma só vez. Matamos a saudades, e desci pra ir ver o por do sol no pacífico com o Gaudencio, pois nesta hora o Hilton estava "babando" em cima do computador, e pelo que vi, ia umas duas horas pelo menos. Fomos caminhando pela orla, quando apareceram uns 5 caras, todos em motos XT660, vindo tbm de San Pedro. Já eram umas 19:30 hs! Eram todos gaúchos, e queriam acampar, pelo que vi. Falei do nosso hotel pra eles, mas acharam caro, e foram embora atrás de Camping! Tem neguinho animado, heim! Vimos o por do sol, tiramos um monte de fotos, vimos artesanato, etc... e um monte de gente tomando banho no mar. Isto com um vento FRIO, e devia estar a uns 22 graus mais ou menos! Conhecemos um vendedor de artesanato brasileiro, da Bahia, que conhece todo o MS! Tomamos uma cerveja, e fomos comer no McDonalds, pois o atendimento aqui demora muito! Comemos, e já no final aparece o Hilton, que tbm comeu. Enfim voltamos para o hotel, pra tomar o banho, arrumar as coisas, pra amanha sair. Nao estou conseguindo postar fotos neste computador, pois ele nao reconhece a camera. Nao sei porque! Bem, amanha devemos pegar um trecho bem longo, de mais de 800 km, e volto a postar. Lembrancas a todos, uma boa viagem para o pessoal da Confraria que foi ou vai para a praia, a minha familia e amigos! Estamos no meio da viagem! Agora vem o sul, que é outra viagem! Até
Fotos:
-Lhamas mansas, na ida para Toconao;
-A Aduana de San Pedro de Atacama;
-Os 3 muskiteiros no Vale da Lua;
-Trevo em Calama, da RN5, para Antofagasta;
-O monumento La Portada, em Antofagasta;
-O restaurante do gaúcho, na foto ele com o Hilton;
-Uma familia de leoes marinhos, no porto de Antofagasta.

3 comentários:

  1. Nossa que aventura hein, muito bom!!!
    Abraços pra vcss...e uma ótima viagem de retorno com mais paisagens maravilhosas!!

    ResponderExcluir
  2. Parabêns vc estâ relatando a viagem de uma maeira incrîvel,estou adorando....fico muito tranquila ao ler o seu diârio...obrigada... sou esposa do Gaudencio e tenha certeza estou aqui muito feliz por vcs. sei que estâ viagem ê um dos sonhos que vcs estão realizando...e creio que virão outras viagens....Aproveitem ao mâximo... esse momento ê unico...abracos a todos.

    ResponderExcluir
  3. GREAT SITE....I JUST FOLLOWED YOUR SITE
    PLEASE LOOK AT AND FOLLOW

    http://updownlongwayaround.blogspot.com/

    ANOTHER GREAT SITE TO LOOK AT IS

    www.peterbrucephoto.com

    thanks, cheers and keep in contact
    PB

    ResponderExcluir

Olá! Faça aqui o seu comentário!

Quem sou eu

Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brazil
49 anos, casado, zootecnista, empresário e motociclista.