sábado, 15 de abril de 2017

Uma aula de curvas!

Dia 8: Cusco a Uripa - 390 km
O sétimo dia da viagem passamos em Cusco, em um dia livre para descanso e preparo para o restante da viagem. Foi muito bom, pois descansamos bastante, e todos melhoraram muito o moral, após aquela noite muito ruim em Desaguadero... Acordamos mais tarde, tomamos um ótimo café da manhã, conversamos bastante, depois fomos à pé mesmo almoçar ali perto, e após o almoço eu e o Guy voltamos para o hotel e o Renato e o Edson foram para a praça central ver o comércio e alguns pontos turísticos. O Guy dormiu e eu tinha que trabalhar um pouco no computador, responder uns emails, etc... Acabei saindo do micro quase 19 hs, quando saímos para jantar com a Rocio Arenas, a guia turística amiga do Renato, muito gente boa, que nos levou em um restaurante típico peruano, com danças típicas, e comida muito boa. Comi só o ceviche, e uma sobremesa. Após umas comprinhas na praça, voltamos para o hotel, fizemos uma pequena reunião a respeito do dia seguinte, pois mudamos a rota um pouco, encurtando, ao invés de dormir em Ayacucho, escolhemos Uripa, mais perto e mais tranquilo pra fazer. Eu fui dormir, novamente usando o oxigênio que estava no quarto, o qual paguei $150 soles para 2 dias. Foi muito bom, mas as 2 da manhã mais ou menos eu desliguei, achei que tinha acabado, e não consegui mais dormir direito, sem ar... Uma hora e meia depois, liguei novamente o oxigênio e dormi até as 6:15, perdendo a hora... Eu realmente tenho dificuldade em dormir na altitude, mas espero me adaptar hoje ou amanhã, pois já são 3 dias sofrendo... Cada um tem uma reação, a minha é não conseguir dormir. Durante o dia, não tenho nada, além da falta de ar, mas à noite... Sofro!
Hoje acordamos cedo, eu até perdi a hora, mas conseguimos sair do hotel as 7:15 hs mais ou menos. O tempo limpo, 11 graus, saímos de Cusco tranquilos, com o GPS apontado para Abancay, a 181 km. A estrada estava até bem movimentada no início, mas depois foi ficando mais tranquila. Paramos antes de Abancay uns 40 km para abastecer, já estávamos a 1900 metros de altura, esquentou e eu tirei a segunda pele, pois estava literalmente cozinhando... A estrada, cheia de curvas, passando por vilarejos, pequenas chácaras, plantações de milho, aveia, quinoa, etc... Muito carneiros, porcos, gado e cachorros na estrada. Tem que tomar cuidado! Estamos andando na faixa de 80 a 100 km/h e as vezes nem isto. A minha moto fez 23 km/litro. Com o tanque de 30 litros da GS Adventure, dá pra andar mais de 600 km! Muito bom! Após Abancay, rodamos uns 15 km e pegamos para a direita, sentido Ayacucho. A estrada foi asfaltada recentemente, e o GPS ficou doido! Mandava voltar, ou não reconhecia a rodovia. O asfalto impecável, a estrada cheia de curvas, passando por lugares simplesmente maravilhosos, tornou hoje o melhor dia da viagem, até agora, com certeza! Rodamos por várias altitudes, de 1,8 mil a 4,4 mil, sempre parando para tirar fotos, filmando, e curtindo a paisagem estonteante! Muito legal! Eu creio que se parece muito com a Europa, e o Guy me confirmou depois, pois ele conhece bem por lá. São montanhas e mais montanhas, tudo muito verde, gado, ovelhas, fazendas, gente trabalhando no campo, e curvas, muitas curvas! Hoje foi uma verdadeira aula de curvas! Chega até a dar medo de cair, pois a gente acaba abusando um pouco, minha pedaleira raspou algumas vezes no chão... Mas nada de mal aconteceu, ninguém caiu, só alegrias! Chegamos em Uripa as 17:15 hs. Isto mesmo, demoramos 10 horas para rodar 400 km! Aqui é assim, não tem como andar muito, simplesmente impossível! Abastecemos, e fomos procurar um hotel, nos indicaram um novinho, em frente a plaza de armas e igreja, chamado Hotel Chaska. O valor: $30 soles por pessoa, cerca de R$30,00! Muito barato! Hotel excelente, o pessoal até me arrumou um cilindro de O2! Graças a ajuda do Guy, me emprestaram o cilindro, que é da dona do hotel, que mora em Lima, e usa quando vem pra cá, que fica a 3.200 MSNM. O pessoal saiu pra jantar, eu não vou, fizemos um lanche agora a pouco, e eu acredito que isto vai até me ajudar a me adaptar melhor a altitude. No mais, a viagem está indo muito bem, os parceiros de viagem são nota 10, cada um com a sua particularidade, mas todos se respeitando, e o senso de grupo prevalecendo. No final da viagem farei um comentário a respeito disto, com mais detalhes.
Em relação a dicas para viajantes, posso falar algumas. Uma delas, é que venham preparados para frio! Tragam 2 pares de luvas e inverno e 2 pares de verão, pois se chover e molhar um par de luvas, você tem o outro seco. Uma segunda pele boa de inverno, casaco para usar durante os passeios, boné, luvas, etc... Aqui na altitude é muito frio! A segunda, é que venham preparados para encarar a altitude. O ideal é se adaptar, subindo devagar, mil metros por dia, se hidratar bastante, tomando pelo menos 2,5 litros de água por dia, e fazendo tudo com calma, respeitando o seu limite. Quanto a moto, pneu novo, óleo trocado, revisão feita, e pau na máquina! Estamos viajando com 1 moto GS650, 2 GS800 e 2 GS1200, e andando muito bem, todos juntos, independente da cilindrada e potência de cada moto. O ritmo é tranquilo, curtindo bastante as paisagens e o local.
Amanhã vamos mais ao norte, rumo a Huaraz. Faremos os cãnions em breve!
Grande abraço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Faça aqui o seu comentário!

Quem sou eu

Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brazil
49 anos, casado, zootecnista, empresário e motociclista.