terça-feira, 11 de abril de 2017

Dias 3 e 4: início da subida ao altiplano Boliviano!

Dia 3: Santa Cruz de La Sierra a Cochabamba - 480 km
No domingo à noite o Arley, nosso amigo de Sta Cruz de La Sierra, passou lá no hotel e levou o Renato pra trocar o pneu da moto dele, que ele havia levado desde Campo Grande. Trocamos em uma borracharia da cidade mesmo, e depois fomos dormir.
No outro dia, acordamos cedo, antes das 6:00 hs, para tentar sair até as 7:00 hs. Deu certo, mas amanheceu chovendo, e já saímos de capa de chuva e tudo. A chuva não parou o dia todo, mas com capa e bem protegido, é até melhor, pois a temperatura ficou na média dos 18 a 20 graus, o dia todo. Apesar da quilometragem não ser grande, gastamos o dia todo para fazer este trajeto, são cidades, vilas, e muito movimento pela estrada, e a viagem não rende muito. A tocada, na faixa dos 110-120 km/h, bem tranquila, a minha moto começou a fazer 20 km/litro de gasolina! Bom demais! Almoçamos em Vila Tunari, a última cidade antes de começarmos a subir a cordilheira. Comemos um peixe, e seguimos viagem. Depois de Vila Tunari começaram as curvas, com força total, e um asfalto ruim, muitas ondulações, pedaços sem asfalto, e isto tudo com chuva. Depois que subimos, a chuva parou, e chegando em Cochabamba o tempo abriu totalmente, com o sol a brilhar forte, chegando a secar as roupas que estavam úmidas. Abastecemos (sempre abastecemos quando chegamos na cidade que vamos dormir). Fomos atrás de hotel, o Guy sugeriu o mesmo que ele havia ficado no ano passado, mas acabamos ficando em um ao lado, mais barato e bom também. Saimos após o banho para jantar, à pé. Demos umas voltas na praça central da cidade (Plaza de Armas), e depois começou a chover, pegamos um táxi (Em 5!), e fomos a um restaurante, bem perto do hotel. Jantamos e fomos para o hotel descansar. Viajar de moto, cansa o corpo, mas descansa a mente! Impressionante como ficamos inteiros no outro dia cedo! Cochabamba dizem que é a melhor cidade da Bolívia para morar. Me surpreendeu a beleza da cidade, tudo bem arrumado, limpo, muitos restaurantes e lugares para sair. Gostei!
Dia 4: Cochabamba a Coroico - 470 km
Não dormi muito bem, apesar de estarmos a 2.550 metros acima do nível do mar, senti um pouco de falta de ar, logo após dormir. Acordei sem ar, levantei, dei uma respirada, e depois acho que melhorou, pois acordei as 4 da manhã. Tenho isto, durante o dia não sinto nada, mas à noite não consigo dormir direito, em locais com altitude acima de 2500 metros. Mas depois de 3 dias me adapto e acaba.
Acordamos 5:45 hs, para deixar tudo arrumado, e sair logo após o café da manhã, que no hotel que estávamos, começava as 7 hs. E realmente saímos logo após o café, mas acabamos nos perdendo dentro da cidade, e gastamos quase 1 hora pra sair! Cochabamba é grande, não acaba nunca, uma avenida muito longa, e vai emendando uma cidade em outra vila, e assim vai... Saimos da cidade e pegamos a rodovia mesmo, as 8:30 hs. Coisas do GPS...
A estrada até o trevo para Oruro é bem diferente do dia anterior! Muitas curvas de alta, asfalto bom, e começamos a subir cada vez mais, até chegar próximo dos 4 mil metros. Paramos várias vezes para tomar água, conselho do Guy para combater o mal da altitude, só que por consequência, tem que parar toda hora para aliviar e "tirar a água do joelho". No terço final para chegar no trevo para Oruro, estão recapeando e reformando a rodovia, e tem vários desvios e partes de terra batida com cascalho, algumas poças d'água, mas nada demais, e passamos de boa. Paramos no trevo para comer alguma coisa, e depois seguimos rumo a La Paz, agora em pleno Altiplano Boliviano, sempre andando em altitude entre 3900 a 4 mil metros. Paramos mais uma vez para abastecer, e desta vez conseguimos pagar quase o mesmo preço dos nativos daqui... Chegamos em El Alto, a cidade que fica antes de La Paz, as duas são praticamente emendadas, as 15:00 hs mais ou menos. O trânsito maluco, milhares de vans nas ruas, buzinando sem parar, pois lá não tem transporte público, e tudo é feito por vans. Mesmo com toda esta bagunça, como ainda era cedo, até que o trânsito estava bom, e conseguimos atravessar a cidade toda em cerca de 1,5 horas! La Paz fica dentro de um enorme buraco, e a diferença de altitude entre a parte mais alta e a mais baixa chega a mais de 500 metros! Pegamos a saída para Coroico, e logo começou a chover frio, subimos quase a 4700 metros, eu pensei que ia nevar, mas ficou nisto mesmo, quase até chegar no nosso destino final do dia, por cerca de 100 km. Passamos por túneis, precipícios, curvas e mais curvas, e muitas vans com bicicletas em cima, voltando do passeio da estrada da morte, o principal passeio da cidade, e que vamos fazer amanhã, de moto, se o tempo ajudar!
Estamos todos bem, um pouco cansados mas muito bem!
Amanhã será o último dia na Bolivia, e iremos para o Perú, nosso destino principal. Fiquem com a gente! Abraços!







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Faça aqui o seu comentário!

Quem sou eu

Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brazil
49 anos, casado, zootecnista, empresário e motociclista.