domingo, 24 de março de 2013

Primeira etapa concluída: chegamos em Catamarca!

Esta viagem pra mim tem 3 etapas:
-A primeira é a ida até Catamarca, 1.900 km atravessando o Paraguay e o Chaco argentino.
-A segunda é a melhor parte, que é a saída de Catamarca, e a travessia para o Chile pelo Paso San Francisco e o retorno pelo Paso Água Negra, chegando de volta a Catamarca na sexta-feira santa ou no sábado, totalizando cerca de 2.000 km.
-E a terceira etapa é o retorno para casa, mais puxado, em dois dias, direto para Assunção e depois Campo Grande.
Hoje concluímos a primeira etapa. Já estamos na cidade de San Fernando del Valle de Catamarca, mais conhecida como Catamarca, capital do estado (província) do mesmo nome, no noroeste Argentino. Correu tudo bem, graças a Deus!
É a primeira vez que viajo com um grupo tão grande (7 pessoas/motos). É estranho no início, com receio de algum problema. É cada um do seu jeito, todos velhos amigos e conhecidos, mantendo o respeito, mas com certeza é muito divertido! Cada parada é muita conversa e causos pra contar...

Ontem, sábado, 23/março, saímos 6:40 hs de Ponta Porã, já com a aduana feita e com moeda na mão, rumo a Roque Saenz Peña, no Chaco Argentino. Paramos uma vez em um posto uns 200 km depois, já perto de San Estanislao, e depois tocamos praticamente direto até Clorinda, já na Argentina. Perto de Formosa, o Rezek me disse que a moto estava acusando pneu murcho. Paramos em um posto de Formosa, e tinha um prego no pneu, novinho, que ele acabou de trocar. Tinha uma borracharia (Gomeria) lá, mas não tinha nada, atendimento péssimo, e tive que pegar o kit de reparo de pneus que sempre carrego, mas nunca uso, e deu certo, apesar do "macarrão" já estar velho. Perdemos uma meia hora ali, e isto fez falta lá na frente. Paramos mais uma vez em Resistencia para abastecer, e tocamos direto até Presidencia Roque Saenz Peña, chegando lá quase 8 da noite, já escuro. Quando chegamos, entrei no primeiro posto YPF que tem na entrada da cidade, e o Rezek não viu e passou direto. Se perdeu, mas acabou achando o hotel sozinho, e quando chegamos ele já estava lá. Hotel excelente (Atrium Glalok), padrão 4 estrelas, por meros R$ 110/quarto duplo... Jantamos lá mesmo, no restaurante do hotel, já cansados. Rodamos ontem 920 km.
A saída no hotel Barcelona, em Ponta Porã
Na aduana Paraguay/Argentina, em Clorinda


Aduana em Clorinda

Fila para abastecer em Clorinda... Isto não acaba?!
Hoje acordamos 6:45 hs (aqui é horário de Brasília), e saímos do hotel 8:10 hs, de café tomado. Tocamos pelo chaco direto 250 km até Quimili, aonde paramos para abastecer somente, pois o posto era muito ruim! Mas logo à frente tinha um "Parador" e fomos pra lá comer alguma coisa e tomar um café, pois hoje o trecho era mais curto e tínhamos mais tempo.

Depois seguimos sempre sentido Santiago del Estero. Neste trecho do chaco, uma curiosidade é a quantidade de pombas no acostamento, aos bandos, devido às lavouras que tem na região, elas ficam ali comendo o que cai dos caminhões de milho e arroz. Hoje uma dessas me acertou na cabeça, e quase quebrou a viseira do capacete, tive que parar para arrumar. Isto fora a meia dúzia que devo ter atropelado... O negócio é até engraçado, pois tem muito! Fomos tocando, e entre Suncho Corral e Taboada, tem a tal da estradinha de meia pista de concreto, 33 km de armadilha, que se passar à noite e chovendo é um perigo, pois tem que sair pra passar os caminhões, e o acostamento é muito ruim, de barro e terra fofa, em muitas partes. Mas foi tranquilo.
Logo chegamos em Santiago de Estero, cidade grande, uns 400 mil habitantes, paramos em um posto YPF para abastecer e "almoçar" o lanche de sempre. Cada um pede uma coisa, eu vou sempre em um sanduich de jamon con queso, um suco de maçã e um café.
Nelson, Pintado, Marco Tulio e Rezek lanchando no posto
Dali já entramos em contato com o Amado Menen, nosso amigo argentino, que junto com o Amin, tbm motociclista e amigo dele, estavam almoçando em um local, e iriam nos encontrar na estrada, em Las Cañas ou Lavalle. Saímos do posto em Santiago às 14:10 hs, e a paisagem foi melhorando um pouco, saímos dos 50-60 metros de altitude do chaco para 500-600 metros, logo veio uma serrinha muito agradável de fazer, com algumas curvas, finalmente, depois de quase 1500 km de retas...
As retas intermináveis do chaco...


Primeira placa mostrando Catamarca

Paramos pra tirar algumas fotos, e após esta serrinha, já apareceu outra, e neste momento eu avistei 2 faróis fortes, de moto grande. Já era o Amado e o Amin chegando para nos encontrar, faltando uns 150 km pra chegar em Catamarca! Foi uma festa, ali no meio da estrada, nos cumprimentando e conversando, tiramos várias fotos.
Logo seguimos viagem, parando apenas para abastecer, e chegando em Catamarca, fomos para um posto tomar uma água, café e conversarmos um pouco. Já estamos combinando a subida da cordilheira para terça, junto com o Flávio e o Kikiko, que saíram de Campo Grande hoje, domingo, e devem chegar aqui amanhã.
O Amado e o Amin irão nos acompanhar, de moto. O Amin já conhece bem o paso, já fez de moto e de carro. Amanhã vamos conhecer a cidade, descansar, fazer câmbio de moeda, e esperar os dois companheiros que estão faltando. Terça começa a parte mais aventureira da viagem, a subida da cordilheira e a travessia do Paso San Francisco, totalmente por terra. Teremos altitude, frio e estradas de rípio para enfrentar. São 480 km no meio do nada, sem postos nem restaurantes. Vamos levar água, comida e combustível reserva. Mas estamos confiantes, e vai dar tudo certo! Continuem conosco! Abraços!

3 comentários:

  1. É isso ai Galera! Viajão!
    Só aventura e alegria!
    Vamos acompanhando daqui!
    Grande Abç.!

    ResponderExcluir
  2. Força galera...aventura inesquecível! Abraços, cuidem do meu namorado! srsrsr...

    ResponderExcluir
  3. Boa viagem pessoal, continuem mandando notícias.

    ResponderExcluir

Olá! Faça aqui o seu comentário!

Quem sou eu

Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brazil
49 anos, casado, zootecnista, empresário e motociclista.