domingo, 7 de outubro de 2012

Dia 1: Rio Branco a Puerto Maldonado: 590 km


Ontem foi um dia cansativo e de espera. Eu e o Osmar saímos de Campo Grande às 4 da manhã, em vôos diferentes da TAM, e nos encontramos em Brasília. Chegamos em Rio Branco às 2 da tarde. A amiga Cecília gentilmente nos levou até a Xapuri Motors, aonde encontramos as nossas motos, depois de quase 3 semanas sem vê-las... Estavam todas bem, aguardando em uma varanda, no fundo da concessionária. Ajudados pelo amigo Peruca e o pessoal da Xapuri, montamos as bolhas das GS, que estavam soltas, arrumamos as malas, e começamos o translado até o hotel INÁCIO. A ajuda do Peruca foi fundamental. Além disto, ele nos deu dicas da estrada e da viagem, pois já passou varias vezes por este caminho que iremos fazer. Agradeço ao confrade Marco Túlio pelo contato. O Júnior “Peruca” teve que fazer duas viagens com o seu BMW, levando as malas do Casagrande e do Padilha, até o hotel, e a gente atrás. Já no hotel, fomos montar e arrumar as coisas. Tento sempre diminuir a bagagem, mas sempre fica apertado... Quase que não coube tudo! O problema sempre são os calçados e as roupas de frio. Mas deu tudo certo, e ainda montei os faróis de milha na moto.
Ainda trabalhei um pouco no computados, e fomos jantar, lá pelas 20 hs, mortos de fome, pois passamos o dia com lanches e comida de avião, sem almoço... Mesmo a TAM, no voo de Brasília a Rio Branco, que dura 3,5 horas, não serviram nada, a não ser uma bolachinha e umas poucas bebidas. Janta e cama, dormimos cedo, acho que nem 21 hs.
O Casão e o Padilha estavam previstos de chegar meia noite, no voo da TRIP, mas o avião não conseguiu aterrissar em Rio Branco, e teve que voltar a Porto Velho. Resultado? Chegaram já passado das 3 da madrugada no hotel. Hoje sofreram para segurar o sono!
Saímos de Rio Branco tarde, quase 10 hs da manhã, pois o Casão e o Padilha ainda tinham que arrumar as coisas nas motos, depois abastecer, e ainda passamos na concessionária Honda, para conhecer o Sr. Oswaldo e o seu filho Marcelo, os proprietários, que estavam nos aguardando. Eles são muito conhecidos por estas bandas, e dão excelente apoio a todos que passam por aqui, nesta rota para o Perú. Vale a pena conhecê-los, pessoas nota 10, além de nos passar varias dicas da estrada. Aproveitamos para calibrar o pneu das motos, que estavam baixos, já que estavam paradas há quase 3 semanas. Isto é muito importante de se lembrar, pois muda completamente a ciclística da moto, se estiver com pneu murcho!
Pegamos a estrada, e logo à frente, havia uma carreata do PT, que é muito forte no Acre, e deve reeleger o prefeito. Nunca vi tanto carro assim! É sério, acho que andamos quase uns 10 km acompanhando este pessoal! Tocamos mais uns 60 km, e paramos em um posto para comprar água e colocar os forros de chuva nas roupas, pois começou a garoar fino. Resolvemos ali abastecer, para tocar direto até a divisa com o Perú, a 250 km, pois a hora já estava adiantada, estávamos atrasados! A paisagem, praticamente só pecuária, com pastos muito verdes, gado, e um pouco da mata, que foi derrubada há muitos anos atrás, e só ficaram algumas castanheiras do Pará, árvores magníficas e muito altas. Curiosamente passamos por uma sina de álcool. Já estão plantando cana por aqui também!
Paramos para almoçar em Brasiléia, o Casão e o Padilha abasteceram novamente, com medo de passar aperto. Depois, tocamos direto até Assis Brasil. A estrada, saindo de Rio Branco está muito boa, até uns 150 km. Depois começou a aparecer uns buracos e remendos. Tem muita curva! Gostosa de tocar, uma pena que o asfalto estava molhado, e não dava para entrar nas curvas com mais velocidade. Viemos a 130 km/h, de boa. De Brasiléia pra frente, a estrada piorou bastante, com vários trechos até sem asfalto, mas passamos tranquilo. É aqui que explica o porque da Big Trail ser a melhor moto para este tipo de viagem...
Finalmente chegamos na divisa. Ali tem a aduana brasileira, paramos, tiramos foto, e apenas carimbamos os passaportes, tudo muito tranquilo, não tinha ninguém. Entramos no Perú! Já de cara começamos a ver os “Tuc-Tuc” ou aqui chamados de Motokar, que é um tipo de triciclo, que eles usam para tudo, mas principalmente como táxi.
Na aduana, não tinha ninguém e gastamos 1 hora pra fazer tudo, desde a entrada no Perú, abastecer e fazermos todos os trâmites, até estarmos rodando fora de Iñapari. Depois de fazer a imigração, você tem que dar a entrada da moto no país, e para isto tem apenas uma cabine, com dois senhores, que fazem um a um, de maneira quase artesanal. Imaginei se chegasse um ônibus, aí sim a coisa iria demorar! Aproveitamos e fizemos o câmbio (1 real = 1,22 soles), para abastecer no caminho. De lá até Puerto Maldonado foram 235 km, de estradas sinuosas e asfalto EXCELENTE, serpenteando pela mata amazônica, aqui deste lado mais conservada do que no Brasil. Mas estão derrubando... Tem muita madeireira na margem da rodovia. Situação de perigo, apenas em uma saída de uma obra, tinha muito barro na pista, por uns 500 metros, andamos sobre uma lama fina, mas deu tudo certo. Chegamos em Puerto Maldonado, nosso destino de hoje, às 17 hs, saindo da Aduana às 14:40 hs. Uma tocada só, rendeu muito, e quase tudo embaixo de uma chuva fina, mas agradável, não chegou a molhar, e a temperatura em torno de 24-25 graus o tempo todo. Isto é muito bom, pois aqui é a mata amazônica, e o calor pode chegar a 40 graus muito fácil!
Abastecemos na chegada, e fomos para o hotel CABAÑA QUINTA, excelente dica do amigo Renato Lopez. É feito todo de madeira, muito bem estruturado e bem feito, tem restaurante, bar, piscina, e os quartos são grandes e muito bons. Recomendo.
Jantamos aqui mesmo, na companhia do nosso amigo Major Juan Espinoza, Brazil Riders, que eu trouxe uma peça de moto, de Rio Branco, e que veio aqui nos cumprimentar. Como o destino nos ajuda, ele conseguiu mesmo à noite, que viesse um despachante aqui no hotel, e já fizesse o nosso seguro SOAT, na hora, pois amanhã é domingo, e teríamos problema para conseguir isto na rua, talvez só na segunda, que ainda vai ser feriado no Peru.
Enfim, o clima está ótimo, hoje começou tudo e acredito que vai ser uma viagem inesquecível!
Amanhã é a travessia da cordilheira, muito esperada por todos, aguardem as próximas notícias!
Um abraço e continuem conosco!
Amanhã posto as fotos, pois está tarde e quero dormir!

8 comentários:

  1. Então Marcio ontem acompanhei vcs pelo spot e achei que foi muito rapido pricipalmente na aduana vcs tiveram sorte de não ter ninguem, hoje vc s vão cruzar a cordilhera aproveitem bastatem. Abraços a todos e tenham uma ótima viagem. Everton

    ResponderExcluir
  2. Grande Marcio! Legal as informações e de grande valia! Vou me aproveitar do que vc postar aqui. Chegamos no domingo a Porto Velho e estaremos em Rio Branco na segunda, partindo logo em seguida após troca de oleo das motos.
    Grande abraço e boa viagem pra vcs! Hilton

    ResponderExcluir
  3. Ótima viagem pra vcs, que tudo de certo.



    Carlos Padilha Filho

    ResponderExcluir
  4. vcs estao atrasados para que? se estao fazendo o que mais gosta, viajar de moto.Boa viagem curta esta aventura

    ResponderExcluir
  5. Marcio, Casão, Osmar e Padilha, sucesso nesta viagem amigos, ja estou copiando dicas, desta vez terei a chance de tantos anos de espera para fazer também uma viagem longa e neste local tão maravilhoso que é o Peru, Chile e Argentina, estamos programados para sair dia 02/01/13.
    mande sempre essa riquesa de detalhes Marcião, vale ouro pra quem ainda não foi.
    vão e voltem com DEUS.
    ABS

    ResponderExcluir
  6. Meu caro amgio Marcio e companheiros de viagem.
    Como esta indo a viagem? Vi agora pelo spot que estão chegando em Jiliaca. A partida foi legal, mas e Cusco, Machu Pichu, como foi? E a recepção da Rocio ficou dentro da expectativa? Conte ai para nós, embora eu saiba que em viagem as vezes fica dificil parar para escrever, até porque ai tem tanta coisa para se ver, que sempre falta tempo. Ótima viagem a vcs. Fraterno motoabraço.

    ResponderExcluir
  7. Amigos, temos uma programação intensa, e por isso não consegui postar nada no blog desde sábado. Mas hoje sai alguma coisa...
    Abraços a todos, e continuem conosco!
    Marcio

    ResponderExcluir
  8. Fotos...fotos....fotos...Márcio deixa pra dormir qdo estiver aqui.... vamo trabalhar...kd as fotos...quero viajar tbem...Gaudêncio.

    ResponderExcluir

Olá! Faça aqui o seu comentário!

Quem sou eu

Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brazil
49 anos, casado, zootecnista, empresário e motociclista.