domingo, 10 de janeiro de 2016

Ultimo dia: chegando em casa!

Dia 17: Reconquista a Ponta Porã - 975 km
Neste último, na verdade o penúltimo dia da viagem, pois acabamos de chegar na quarta, fizemos uma puxada firme, a 140 km/h, e rodamos 975 km, de Reconquista até Ponta Porã, como foi na ida. Mesmo trecho, mesma estrada, com excecao que o não choveu como na ida, só uma manga de chuva no Paraguai. A aduana entrando no Paraguai por Clorinda mudou, e nos atenderam em um tipo de container, foi muito rapido e não tinha ninguém na frente, com um calorão escaldante de 38 graus!
As paradas para abastecer foram em Resistencia (tomamos o desayuno lá), Clorinda, e no Paraguai, no posto ao lado do restaurante do brasileiro (Boi na Brasa), que fica exatamente no meio do trajeto entre Clorinda e Pedro Juan Caballero. Boa dica. Acabamos nem almocando hoje, só lanche e muito líquidos, pois o calor estava demais! Chegamos em Pedro Juan eram 17:30 hs. Antes de chegar na aduana, completei o meu tanque com o restante de guarani que sobrou do cambio que fiz dos $800 pesos argentinos em Clorinda. Fui direto para o hotel Barcelona, após carimbar o passaporte, e o Capitinga ainda foi na Casa China comprar um presente para a esposa. Logo estávamos jantando, no hotel mesmo. Comi só um omelete com salada, pois não tinha fome. O Capitinga jantou como sempre. Nem bebemos nada e já fomos dormir, pois estávamos exaustos! Não sei se foi o calor e a chuva que tomamos sem a capa, aliado a distancia, mas me pareceu o dia que mais cansei da viagem!

Dia 18: Ponta Porã a Campo Grande - 330 km
No outro dia, amanheceu chovendo fino. Acordei mais cedo, tomei o café, e logo chegou o Capitinga. Com tudo pronto e as motos carregadas, saímos do hotel eram em torno de 8:00 hs. Fomos por Vista Alegre, embaixo de uma garoa fina, que nos acompanhou até Campo Grande. No trajeto, muitas pessoas me ligaram, pois o celular estava pegando, e transmitindo pelo radio Scala Rider... rsrsrs... Meio estranho isso, não gosto muito de falar ao celular pilotando, mesmo com o radio.
As motos comecaram a gastar mais do que o normal (gasolina ruim...), e paramos em Sidrolandia para completar o tanque.
Enfim chegamos em casa!
Como era dia de semana, e ainda chovendo, não combinamos nada de espera ou recepcão, mas o amigo Stefano estava nos esperando perto do trevo de Sidrolandia. Paramos um pouco, pois estava garoando, tiramos umas fotos, e seguimos.
Mais uma viagem completada, com a graca de Deus!
Nada de grave nos aconteceu, com excecão do Padilha, mas que está bem.
Muito obrigado a todos que nos acompanharam por estes dias!
Isto aqui vai acabar virando um livro... rsrsrs...
Grande abraco!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Faça aqui o seu comentário!

Quem sou eu

Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brazil
49 anos, casado, zootecnista, empresário e motociclista.