sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Carretera finalizada! Bora pra casa!

Dia 11: Cochrane a Esquel - 715 km
Saímos da cabana em Cochrane, as 8:30 hs da manhã. O dono não estava lá, arrumamos tudo, e deixamos a chave na porta, pois já tínhamos pago adiantado.
Pegamos o rípio de volta, por cerca de 60 km, pelo mesmo caminho que viemos, passando pela entrada à direita para o Paso Robalos. Passamos novamente ao lado do rio Baker, paramos para sacar umas fotos, em um lodge muito arrumado! Seguimos, passamos por Puerto Bertrand, e mais à frente deixamos a carretera (R7) para entrar à direita, margeando o lago General Carrera novamente, só que agora com rumo a Argentina. O lago, maravilhoso, com aquelas águas azuis, fundo de montanhas com neve, a cada curva ou subida era um cartão postal! Paramos várias vezes pra tirar fotos. O rípio MUITO BOM, quase um asfalto, a maior parte da estrada. Só uns 30 km antes de chegar em Chile Chico, que piorou um pouco, com ripio solto. Finalmente passamos por algumas motos, 2 motos GS1200, uma vermelha com um casal, e outra GSA verde com um cara da Nova Zelandia, que parei e conversei rapidamente, pensa na moto ultra-carregada! Chegamos em Chile Chico às 11:30 hs, paramos um pouco esperando uma patrola passar, estavam jogando sal na estrada! Nunca vi isto! O cara explicou que o sal "firma" mais o rípio... Logo a patrola chegou, um ripiozinho solto, mais um pouco de emoção pra chegar na cidade... rsrsrs... Chile Chico é uma cidade pequena, mas muito arrumada e bonita. Paramos, abastecemos, passou por nós uma S-10 preta com placa de Cuiabá, com umas bicicletas em cima, mas não deu tempo de conversar, pois pegaram a balsa para Coyhaique.
Depois fomos almoçar, ou comer um lanche, e aproveitamos para cambiar o restante de pesos Chilenos que tínhamos (Eu tinha $100 mil e o Capinerso $140 mil), para pesos Argentinos agora. Saímos já quase 14 hs, e fomos fazer as duas aduanas, a saída do Chile e a entrada na Argentina, uma perto da outra uns 5 km. Esqueci a minha carteira na aduana Chilena, o viadinho do Capitinga pegou e não falou nada. Na aduana da Argentina é que fui dar falta, e ele me devolveu... O susto!
Abastecemos novamente em Perito Moreno (posto Petrobrás da rotatória), enchemos os pneus, tomamos um café, e pegamos a tal da Ruta40, sentido norte. Este trecho eu nunca havia andado antes. Começou o vento e as retas intermináveis! Ali pensei: porque não subir pela RN40 até Jachal e praticamente finalizar esta rodovia, tão famosa?? Parei na pista quando vi algumas motos vindo. Eram brasileiros, que estão no grupo do whatsapp de Ushuaia. Conversamos um pouco e seguimos. Logo pegamos um desvio de uns 5 km de ripio muito ruim, pedras grandes e soltas... Passamos direto em Rio Mayo, uns 120 km à frente, e o objetivo era primeiro Gobernador Costa (350 km), e depois se desse, Esquel, mais 180 km. E assim foi! Paramos para abastecer em Gobernador Costa, tinha fila no posto YPF, pra variar. Tinha um amigo brasileiro na fila com uma V-Strom laranja, tbm do grupo do whatsapp, com a esposa na garupa, conversamos um pouco, abastecemos, comemos um lanche e fomos embora, com destino a Esquel. Chegamos lá já era quase 21 hs. Esquel é uma cidade muito arrumada e bonita, um ponto turistico, com muitas atrações, cidade bem estruturada e bonita! Fui atrás de hotel, conseguimos o Sur Sur, que aliás é de um motociclista argentino, muito bom, por $550 pesos por pessoa, em quarto separado. Guardamos as motos lá dentro, tomamos um banho, e saímos à pé para jantar. Achamos uma parrilla (La Brasa), muito boa!
Janta, retorno ao hotel e fomos dormir.

Dia 12: Esquel a Bariloche - 280 km
Como seria uma distancia curta, saímos 9 hs do hotel, após o desayuno. Aproveitei a internet wi-fi pra fazer uma reserva em Bariloche pelo celular, no booking, no mesmo hotel que ficamos em 2010/11, o Carlos V Patagonia, para duas noites. Paramos em El Bolson pra tomar um café, cidade e estrada muito bonitas, já chegando em Bariloche. Chegamos lá às 13 hs, e fomos direto no hotel. Tinha duas motos na frente, duas Transalp placa da Argentina, alugadas por dois caras, já senhores na faixa dos 55/60 anos, da Turquia. Alugaram as motos e foram conhecer a Argentina. Paramos as motos dentro do hotel, troquei de roupa, e saí na rua pra comprar algumas coisas (vinho, frutas, castanhas e queijos), pois tudo iria fechar às 15 hs, e iríamos passar o ano novo ali mesmo no hotel. Consegui achar algumas lojas abertas e comprei bastante coisa por $500 pesos, inclusive duas garrafas de vinho. Voltei pro hotel, guardei as coisas na geladeira, e fomos almoçar ali perto do hotel. Almocei só uma salada, e o Nerso a salada e um bife de chorizo com arroz. Voltamos para o hotel, o Nerso foi descansar e dormir, e eu fui para o computador, ver a rota para o outro dia. De repente ouvi barulho de motos fora do hotel. Eram 3 motos, com casais do Brasil. Desci lá pra ver, até porque a internet nos quartos não estava pegando, e fui conhecer e conversar com o pessoal que acabava de chegar. Eram de Florianópolis, o Sirineu e outros 2 amigos. Fiquei lá até quase 20 hs, quando subi para tomar um banho e logo voltei.
Passamos o ano novo no hotel mesmo, eles compraram queijos, salames e cervejas, e nós tbm, juntamos tudo e ficamos conversando até a meia noite, ali no hotel mesmo, no fundo, aonde servem o desayuno. E foi muito legal!
Valeu o dia, à meia noite nos cumprimentamos, e cada um foi para o seu quarto dormir. Haviam alguns restaurantes oferecendo ceia a $800 pesos por pessoa, mas com certeza foi bem melhor passarmos ali, além de ser mais barato.
Amanhã iniciamos a ruta40, até Mendoza! Primeiro trecho até Chos Malal.
Abraço!

Dia 12: Bariloche a Chos Malal - 570 km
Saímos de Bariloche tarde, já quase 11 hs. Abastecemos e saímos. Fomos pela R40, sentido Villa Alicura e Zapala. Na verdade este trecho está como RN237 mas na verdade é a RN40 antiga. Saímos na RN40 uns 150 km antes de Zapala, em um trecho que já havíamos feito uns 10 dias antes, aonde passei muito frio. Mas hoje, completamente diferente, muito calor! Quase 36 graus! E muito vento!
Paramos em Zapala, abastecemos com uma fila pequena no posto YPF (só tem fila neste posto!), mas não tinha nada pra comer. Fomos comer em outro posto mais à frente, tbm YPF. Lá havia um senhor do Brasil, indo para Villa La Angostura, com a família junto. O Capitinga reclamando da gripe, está ruim ainda, tomou um café com redbull e seguimos para fazer os 215 km restantes até Chos Malal. Mais retas e calor, e finalmente chegamos! Tiramos algumas fotos na placa da RN40 em frente a entrada da cidade, e fomos entrando na cidade pra abastecer e procurar hotel, pois não reservei nada. Abastemos, com fila, e achei um hotel muito bom, Terra Malal, por $1000 pesos o quarto duplo pago em efetivo. Estamos aqui, e amanhã vamos a Mendoza, cerca de 740 km, com um pedaço de rípio (50 km), pra relembrar... rsrsrs...
Abraço e fiquem com a gente!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Faça aqui o seu comentário!

Quem sou eu

Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brazil
49 anos, casado, zootecnista, empresário e motociclista.